Investir Em Sustentabilidade

INVESTIR EM SUSTENTABILIDADE REDUZ CUSTO DO NEGÓCIO E GERA LUCRO

Agir com sustentabilidade não é só bom para o planeta, como para sua empresa. Veja como reduzir custos sendo sustentável!

Muito empreendedor acha que a concorrência se debruça sobre planos de desenvolvimento sustentável pela simples consideração com as gerações futuras. Tomara que essa seja uma razão forte! Mas certamente não é a única. Implementação de projetos ligados à sustentabilidade, revisão de processos produtivos, novas políticas de descarte, substituição de embalagens tradicionais por outras biodegradáveis, redução no uso de compostos químicos, troca de energia tradicional por modelos alternativos (como a energia solar): todas essas medidas visam também à redução de custos, redução do preço final dos produtos, captação de clientes e fortalecimento da marca no segmento.

O impacto ambiental da ação industrial (e seu consequente impacto social) tem sido muito debatido e diversos setores da sociedade têm feito lobby contra as empresas que se mantêm alheias à causa da sustentabilidade. Chegou a hora de pensar nisso.

O que é sustentabilidade empresarial?

Sustentabilidade empresarial é a adoção de atitudes éticas, métodos, tecnologias e estratégias que visem produzir com o menor impacto ambiental possível.

Essa remodelação pode envolver práticas sustentáveis, como reutilização de sobras de matéria-prima, troca de filtros que retêm poluentes industriais, uso racional de água e energia, etc.

Como a sustentabilidade impacta meu negócio positivamente?

A General Electric pode nos falar sobre isso com extrema autoridade. Em 2007, aprofundando seu projeto sustentabilidade, a GE lançou um novo case de produtos, dotados de um selo, o “Ecomagination”. O objetivo aqui era o de mesclar inovação tecnológica e respeito ao meio ambiente, por meio do lançamento de mais de 90 produtos “verdes”. O resultado dessa ação de cross business (a GE fabrica de turbinas de avião a lâmpadas fluorescentes) foi o salto da receita dos produtos ecológicos ao triplo da média de vendas dos demais produtos da empresa norte-americana. O fenômeno gerou a famosa frase de seu presidente “green is green”, em uma alusão à cor dos dólares norte-americanos.

Exemplos de quem utiliza a sustentabilidade para agregar valor ao seu negócio:

Natura

A Natura é a única empresa brasileira que figura no ranking das 100 mais sustentáveis do planeta. Pioneira na adoção de práticas sustentáveis, a companhia do setor de cosméticos já trabalhava no desenvolvimento de produtos à base da flora nacional (sem uso de compostos químicos) desde 1969, ano de sua fundação. Hoje, a Natura não faz testes em animais, usa álcool orgânico e óleo 100% vegetal e possui um dos mais eficientes planos para redução de carbono. O resultado de todo esforço: fortalecimento da marca, líder em numero de seguidores nas redes sociais (em comparação com os rivais do setor) e faturamento anual na casa dos R$ 5 bilhões, boa parte dele calcado no tripé “preço, qualidade e sustentabilidade”.

TecVerde

Especializada em construção civil sustentável, Caio Bonatto e seus sócios usam tecnologia e fluxo de processos inovadores, os quais são capazes de construir em prazos até 6 vezes menores, reduzir 80% da emissão de CO2 e 90% do desperdício de resíduos gerados em uma obra.

Como incorporar a sustentabilidade no meu negócio se atuo na área de prestação de serviços?

Empresas de todos os portes e segmentos podem tirar proveito dos benefícios de uma cultura sustentável: redução de impressões, coleta seletiva de lixo, metas de redução de energia no escritório, etc. Tudo isso tem impacto social e, evidentemente, em seus custos mensais.

Como práticas sustentáveis podem impactar na redução de sua empresa?

A adoção de práticas sustentáveis se tornou uma máxima em empresas vencedoras porque proporciona benefícios a todos os envolvidos, inclusive à própria empresa:

  • Redução de custos com energia: ao racionalizar a energia consumida, o empreendedor não somente está adotando uma prática de sustentabilidade empresarial, como também está reduzindo um dos custos variáveis que mais impactam o faturamento.
  • Redução de desperdício: o ser humano é a única espécie do planeta que produz resíduos contaminantes e difíceis de serem absorvidos pela natureza; o lixo é, portanto, uma criação humana, e que pode perfeitamente ser transformada para se alinhar ao equilíbrio do ecossistema (o que envolve, por consequência, a redução da quantidade necessária de insumos na produção). A eliminação do irresponsável modelo industrial da “extração-beneficiamento-descarte” implica em consolidar a cultura do “desperdício zero”, o que se reflete em redução de gastos com matéria-prima e recompra de materiais desperdiçados.
  • Otimização da cadeia logística: parece não ter relação com o tópico, certo? Mas tem. E para explicar esse ponto, vamos evocar a experiência da Nike, que passou a usar algodão plantado num raio de até 300 km de seu centro industrial. Resultado: reduziu custos de transporte, deu velocidade ao processo produtivo, além, é claro, de diminuir a emissão de CO2.
  • Redução no custo com embalagens: a Unilever trabalha fortemente em projeto sustentabilidade. Em uma de suas iniciativas, a empresa criou, para uma linha de produtos de beleza, uma embalagem mais fina, mais barata e menos agressiva ao meio ambiente.

Como posso incluir ações sustentáveis se elas encarecem meus produtos?

Esse é um dos grandes mitos sobre o assunto, e que fazem muitas empresas perderem dinheiro e credibilidade no mercado por acreditarem que executar um projeto de desenvolvimento sustentável traz aumento de despesas e eleva o preço final dos produtos. Já desmitificamos a questão do aumento de custos, mostrando que ações simples resultam exatamente no contrário. Mas há ainda um detalhe importante:

EM MUITAS REGIÕES DO BRASIL, HÁ INCENTIVOS FISCAIS PARA AS EMPRESAS QUE ADOTAREM PRÁTICAS SUSTENTÁVEIS.

Há ainda um Projeto de Lei (PL 4611/2012), que visa conceder abatimento no PIS/Pasep e COFINS para as empresas que reduzirem sua emissão de gases de efeito estufa em seus processos produtivos.

Dicas para criar práticas mais sustentáveis na sua empresa

  • Reciclagem do lixo;
  • Energia alternativa: investimento em infraestrutura de energia limpa, como a solar (chamada de “fotovoltaica”, que gera energia mesmo em dias nublados ou chuvosos). Embora pareçam, à primeira vista, implicar em altos custos, vale lembrar que os painéis desse sistema possuem durabilidade média de 25 anos e resultam na redução (ou eliminação completa) dos custos com energia elétrica, que podem consumir até 35% do faturamento mensal de uma empresa de grande porte. Conclusão: o retorno sobre o que for investido volta (com juros!) em poucos meses!
  • Implementação da cultura de desperdício zero: a empresa de carpetes InterfaceFlor desenvolveu um intenso trabalho de conscientização sobre as consequências nocivas ao meio ambiente e o impacto social do desperdício. Resultado: redução de 94% dos resíduos, economia de US$ 400 milhões e, com isso, lucro ampliado em quase 200% (pela redução das despesas).

Viu como o impacto ambiental é uma questão que afeta diretamente os resultados financeiros de sua empresa?

Desenvolvimento sustentável não é moda; é uma obrigação de impacto social e uma necessidade de mercado. Quer se aprofundar um pouco mais sobre sustentabilidade?

NÃO PERCA TEMPO EMPRESÁRIO. INVISTA EM SUSTENTABILIDADE E COMECE A LUCRAR

Fontes:  Endeavor @ https://endeavor.org.br/sustentabilidade/

(imagem destacada) https://www.greenme.com.br/informar-se/green-economy/418-capitalismo-combina-com-sustentabilidade

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *