Quais Impostos Que Um Supermercado Paga Post - Roca Contábil

Quais os impostos que um supermercado está sujeito a pagar para o governo?

Você é um comerciante varejista e quer saber quais impostos que um supermercado paga para o Governo?

Essa é uma dúvida comum, já que um dos maiores gargalos, vem das altas taxas de impostos tributáveis que todo empreendedor deve pagar.

E para entender melhor sobre o assunto, decidimos criar esse artigo para discutir esse tópico bastante interessante. Vamos lá compreender mais?

Como funciona a tributação para supermercados?

A tributação para supermercados, depende de uma série de coisas, que envolve a NCM – que é a nomenclatura comum do Mercosul, sendo um código de 8 dígitos, estabelecido na tabela do IPI.

Como se aplicam os impostos que um supermercado paga?

Essa aplicação vai ocorrer quando o varejo, faz o cadastro dos itens que ficam dentro do sistema próprio de faturamento, através dos códigos dos itens e dos preços e alíquotas aplicadas nesses produtos.

Assim será a NCM, que determinará a tributação para supermercado e os benefícios do COFINS e do PIS. Vale lembrar que tributação para supermercado, existem 4 tipos de regimes tributários, que também influenciam nos valores dos impostos, pois de acordo com cada um, a alíquota pode ser diferenciada.

Dentro desses regimes, destacamos:

1 – Lucro real – onde não há regime cumulativo de PIS e COFINS.

O Lucro Real é apurado apenas sobre sobre os resultados das vendas e serão caso esses resultados sejam positivos. O impostos incidentes para um supermercado optante pelo Lucro real, isto é, débito e crédito será sobre o ICMS, PIS, COFINS. O IRPJ e o CSLL serão gerados caso haja um resultado positivo do estabelecimento.

2 – Lucro presumido – Aqui há regime cumulativo de PIS e COFINS.

O Lucro Presumido é um sistema que inicia a famosa técnica de débito e crédito, ou seja, a apuração do ICMS já é feita pela subtração do que saiu em valor de ICMS, menos o que entrou de ICMS, ou seja, a guia de ICMS será o ICMS vendido menos o comprado.

Os demais impostos sob a venda são o PIS E o COFINS, que tem uma alíquota fixa de 0,65% e 3,00% respectivamente, sobre boa tarde dos produtos de um supermercado. O IRPJ e a contribuição social já são resultados de uma fórmula fixa e estipulada sob leis federais.

3 – Simples Nacional– Se trata de uma alíquota que integra várias taxas de acordo com o anexo do comércio.

Esse regime engloba em uma única guia os seguintes impostos: IRPJ, CSLL, ICMS, PIS, COFINS, IRPJ, CPP e exclui II, IE, ITR, CPMF, FGTS, CONTR SEG SOC TRABALHADOR, ICMS ST.

Fonte: trecho extraído do portal Infovarejo.

O tipo de regime tributário a ser escolhido por seu supermercado, deve ser muito bem avaliado, visto que através dele é que será pontuado os tributos. Sendo que, em muitos casos, o empreendedor quando não faz uma boa escolha dentre esses regimes (porque não foi bem auxiliado por um contador especializado em contabilidade para supermercados) tende a pagar mais do que poderia e deveria, tendo mais prejuízos e despesas desnecessárias – o que não é nada legal.

Então, afinal… Quais os impostos que um supermercado paga para o governo? (Tributação para supermercado)

Vamos ver agora, no caso de você optar pelo Lucro Real ou Lucro Presumido, quais os impostos que um supermercado paga, ok?

PIS e COFINS, que são contribuições sociais de competência federal. Atua no custeio do seguro desemprego, no seguro social e no abono dos empregados. Esses impostos podem ser cumulativos ou não cumulativos.

No primeiro caso, quer dizer que apenas as PJ tributadas pelo IR com base no lucro presumido, entre outras imposições como prevista a Lei 10.833/2003, podem incidir percentual de:

  • 0,65% sobre a receita bruta para o PIS.
  • 3% sobre a receita bruta para o COFINS.

Aqui, não será permitido aproveitamento de créditos nas aquisições para abatimento do débito que foi gerado. O imposto, dessa forma, será apurado a partir da aplicação sobre a base de cálculo da alíquota total do COFINS e PIS na faixa de 3,65%.

PIS e COFINS Não cumulativo

Somente os optantes do lucro real, podem ter PIS e COFINS não cumulativo, o que quer dizer que nesse caso, o cálculo deles serão feitos por meio do faturamento mensal.

Assim, as alíquotas podem variar entre:

  • 1,65% para o PIS.
  • 7,6% para COFINS.
  • Tributar receita total mensal numa alíquota de 9,25%.
  • Descontar o crédito tributário do valor das contribuições apuradas, que são calculadas com base em uma alíquota de 9,25% sobre encargos, despesas e custos.

Se a escolha for por esse tipo de regime, poderá ocorrer maior aproveitamento de crédito nas aquisições, o que permite abatimento do débito que foi gerado.

Além disso, você ainda estará sujeito a: IRPJ, CSLL e ICMS.

Logicamente, somente tendo um contador especializado ao lado, para analisar de perto o seu negócio e lhe ajudar na escolha do melhor regime de tributação para supermercado você poderá economizar em impostos e ter um supermercado altamente lucrativo.

Somos uma empresa contábil especializada em contabilidade para supermercados e podemos te ajudar a entender muito melhor quais impostos que um supermercado paga e diminuí-los consideravelmente. Vamos falar a respeito do crescimento do seu negócio?

Estamos esperando por você.

Até breve!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *